sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Meia Noite em Paris - 2011

Cineasta: Woody Allen
Gênero: Comédia/ Fantasia
Origem: França
Áudio: Inglês/ Francês
Legenda: PT-BR
Formato: Rmvb


Salve! Gostaria de aguardar um pouco mais pra postar esse filme, contudo a empolgação permaneceu até hoje, portanto vamos logo desenrolar sobre ele. Meia Noite em Paris revela a cidade titulo como uma espécie de segunda casa do mestre Woody Allen. Mesmo sendo o primeiro filme do diretor na França, ele esbanja uma intimidade que reflete seu respeito e amor pela mesma, assim como um profundo misto entre seu olhar histórico e sua crítica mordaz a história da arte.

Depois de tantas citações no decorrer de seus filmes, aqui Woddy Allen conduz seu protagonista pelas ruas da cidade luz. O interessante é captar que o mesmo permanece com caracteristicas muito próprias do diretor, como no decorrer de boa parte de sua filmografia, contudo aqui em especial, as cismas e excentricidades são relacionadas ao tempo espaço, ou seja ele sonha com outra época, uma época que já foi melhor de se viver. Gil (Owen Wilson) não interagi bem com a época que vive, ou os EUA aonde vive, portanto decide ir para Paris, escrever pela primeira vez um livro de verdade, já que é um roteirista bem sucedido e frustrado ao mesmo tempo, contudo na bagagem ele leva sua noiva e a família dela, que dificultam muito sua estada. Para piorar um ex namorado da sua noiva aparece, se mostrando um homem culto e profundo conhecedor das artes, o que irrita Gil. Sendo assim ele decide andar sozinho pela cidade, quando um carro misterioso aparece a meia noite e o leva para uma aventura aonde Scott e Zelda Fitzgerald a Gertrud Stein, passando por Cole Porter, Hemingway, Picasso, Dalí e Buñuel dentre outros são convidados. Com isso, ele poderá concluir seu livro. Bom paramos por ai, pra um comentário sobre partes da sinopse.

Quando falei lá no inicio que Woody Allen faz uma crítica mordaz a história da arte, se remete a cenas de Gil se mostrando um pseudointectual, que não sente a arte, apenas a conhece, e para o diretor, a arte deve ser experimentada e não mantida como história, principalmente em momentos em que ela já não tem mais alcance verdadeiro, reparem que até mesmo os nomes famosos da história são meio ridicularizados e extremamente humanizados através de seus clichês ou bobeiras cotidianas. Isso vai muito mais além, no filme, épocas desfilam na cidade luz, e em cada uma delas, uma anterior parece ideal para seus ocupantes, isso nos remete a concluir que não existe tempo ideal, ou ser humano sonhador, completamente satisfeito com o seu meio. Assim, não com conformismo, mas como uma lição, o mestre nos mostra em seu final deslumbrante, que pessoas e humor fazem a ocasião, o lugar, a vida.

Em aspectos tecnicos, vou focar na fotografia, Woody Allen mostrou tudo de lindo que há em Paris, longe dos pontos turisticos, a boemia, a noite, as luzes, a elegancia, o charme natural, tem como ser melhor que isso? Sua direção é impecavel e os dialogos inteligentes e ageis, tirando isso, seu personagem é desenvolvido como já disse, em suas eternas caracteristicas, que irritam alguns, contudo eu em particular adoro. Bem é isso, se percam no espaço tempo, de preferencia a meia noite, em Paris! Bom filme.

Um comentário:

  1. Obrigado, eu estava louco para ter esse filme no meu computador. Gustavo

    ResponderExcluir